Liderança

Honestidade, Respeito e Autoridade Pastoral na Liderança Cristã

Liderança Cristã é um tema extremamente grande e com inúmeras ramificações. Quero abordar três grandes pontos deste assunto tão empolgante para aqueles que almejam exercer uma liderança cristã com eficiência.

1. HONESTIDADE:

Trata-se de uma qualidade que jamais deve faltar em um líder e pode ser melhor compreendida de duas formas: honestidade consigo mesmo, ou, interna, e a honestidade para com os outros, chamada também de externa.

A primeira diz respeito ao conhecimento que cada indivíduo tem de si próprio, pois ele conhece seus pontos fracos e as rachaduras da sua vida que comprometem toda sua liderança. Negligenciá-la é assinar sua derrota. Jesus disse aos discípulos: “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca” (Mt 26:41). Jesus estava dizendo sobre as limitações de cada um, tanto é que em seguida Ele ora ao Pai e diz: “Meu Pai, se não é possível passar de mim este cálice sem que eu beba, faça-se a tua vontade” (Mt 26:42). Jesus estava sendo honesto consigo mesmo, conhecendo as limitações da sua natureza humana e confessando-as diante de Deus.

A segunda nos diz sobre a transparência e lealdade para com os liderados. Veja a forma honesta com que Neemias apresentou seus relatórios de arrecadações para a reconstrução em Jerusalém, registrado em Neemias 7:70-72. Em Provérbios 11:1 lemos: “Balança enganosa é abominação para o Senhor, mas o peso justo é o seu prazer”. Honestidade para com os outros nos fala daquilo que é justo, por isso, é de caráter fundamental para uma liderança eficiente.

2. RESPEITO:

Nada mais é do que uma consideração. Tanto na liderança secular como na liderança que chamamos de cristã, respeito não se compra nem se impõe, mas, se conquista através da ética, do exemplo, das atitudes, do temor e da integridade.

Russell Shedd, um conhecido teólogo, define respeito como “um olhar de novo, ou olhar para trás e mostrar atenção pela importância de uma pessoa”. Na Bíblia, vemos o exemplo do próprio Cristo, o respeito adquirido pelas suas palavras, pelo seu posicionamento, pela forma com que recebia uma criança ou um ancião, um pobre ou um rico ou ainda por suas atitudes sinceras. Quando alguém possui estas qualidades conquista o que é primordial na vida de um líder, o respeito.

3. AUTORIDADE PASTORAL:

É o ato de servir. Paulo escreve: “Porque de Deus somos cooperadores; lavoura de Deus, edifício de Deus sois vós”. (1 Co 3:9). Paulo ainda afirma: “Eu plantei, Apolo regou; mas o crescimento veio de Deus. De modo que nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento”. (I Co 3:6-7).

Portanto, autoridade pastoral não é poder humano nem domínio sobre as pessoas, mas é a responsabilidade outorgada por Deus para servir ao rebanho de Cristo com amor, com graça divina e com humildade. O apóstolo Paulo deixou os valores do mundo e a sabedoria terrena de lado, e buscou a autoridade pastoral e ministerial unicamente em Deus quando disse: “A minha palavra e a minha pregação não consistiram em linguagem persuasiva de sabedoria, mas em demonstração do Espírito e de poder, para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria humana, e sim no poder de Deus”. (I Co 2:4-5).

Liderança cristã é se colocar na posição de servo, com honestidade, respeito e autoridade pastoral para dirigir o rebanho do Senhor ao aprisco perfeito onde reinará a paz para sempre.

Amém!!!

Pr. Emerson Alves

*Por ocasião da ELLO/2013 – Escola de Liderança e Louvor.